Passeio – Centro de SP

Atividade histórico/cultural extra no VI Congresso

Passeio a pé pelo centro antigo de São Paulo para participantes do VI Congresso da ABRATES

Dia: Sexta-feira, 5 de junho

Horário de início: 9h30

Horário de término: a tempo de voltar para o hotel, tomar banho e ir para o congresso

Local de início: Em frente ao Teatro Municipal de São Paulo (Praça Ramos de Azevedo, s/nº).

Roteiro pretendido: Teatro Municipal, Viaduto do Chá, Praça do Patriarca, Largo de São Francisco, Praça da Sé, Marco Zero de São Paulo, Solar da Marquesa de Santos, Pátio do Colégio, Centro Cultural Banco do Brasil, Mosteiro de São Bento.

***VAGAS ESGOTADAS!!!***
As vagas esgotaram em dois dias. Para quem vai, um bom passeio!

Guia: Participante do Congresso local, Isabel Vidigal

Traje recomendado: roupas e sapatos confortáveis (vamos andar bastante), não usar seus relógios Rolex ou equivalentes, também deixar em casa correntes de ouro e joias chamativas.

ROTEIRO:

09h30: Encontro em frente ao Teatro Municipal, tomar café no Café do Teatro

Praça Ramos de Azevedo, s/nº
São Paulo SP
Telefone +55 11 3053 2100

– Teatro Municipal

Municipal

 

Visitas Guiadas

Theatro Municipal de São Paulo e Praça das Artes

Entrada franca

Visitação para público espontâneo

De terça-feira a sexta-feira: às 11h, 15h e 17h

Sábado e feriados: às 11h, 12h, 14h e 15h
Inscrições no local, a partir das 10h, por ordem de chegada, para todos os horários do dia.

Lotação por horário: 50 pessoas

Indicação etária: 10 anos

– Viaduto do Chá

Viaduto do Chá

– Prefeitura de São Paulo (Edifício Matarazzo, antigo Banespa) e Praça do Patriarca

– Igreja de Santo Antonio: A Igreja de Santo Antônio é considerada a mais antiga dentre as igrejas remanescentes de São Paulo. Sua data de fundação, no entanto, é incerta. A mais remota referência ao templo comparece no testamento de Afonso Sardinha, datado de novembro de 1592, em que o bandeirante lega a quantia de dois cruzados para a “ermida de Santo Antonio”, o que leva a supor que sua construção é anterior a essa data. Tratava-se então de uma pequena capela, erguida por fiéis anônimos, ao término da rua hoje conhecida como Direita.

– Seguir pela Rua São Bento até o Largo de São Francisco:

– Faculdade de Direito de São Francisco (USP)

– Igreja de São Francisco

– Igreja Terceira da Penitência

No Largo de São Francisco instalou-se, na década de 1640, o Convento de São Francisco, dando origem a um dos mais expressivos e antigos conjuntos da arquitetura religiosa da cidade de São Paulo. As três construções que compõem o conjunto – a Faculdade de Direito, a Igreja de São Francisco e a Igreja da Ordem Terceira da Penitência – faziam parte de uma pequena fazenda, cuja demarcação deve ter sido estabelecida em 1642.

Em setembro de 1639, partiu, do Rio de Janeiro, a caravana dos sete freis fundadores do Convento São Francisco de São Paulo, que chegaram ao planalto, em São Paulo, somente em janeiro do ano seguinte.

Inicialmente, os freis ficaram instalados onde hoje é a Praça do Patriarca, no final do Viaduto do Chá. O local revelou-se impróprio para a construção do convento, devido à falta de água e à exposição aos ventos que varriam o Vale do Anhangabaú.

Vale do Anhangabaú

– Praça da Sé

Praça da Sé

Solar da Marquesa de Santos

Solar da Marquesa de Santos

Pátio do Colégio, capela, museu e café para almoço

Pátio do Colégio

Mosteiro de São Bento

Mosteiro de São Bento

Centro Cultural Banco do Brasil 

CCBB_SP

Edificio Martinelli – “O mais luxuoso cinema no mais alto edifício da América do Sul”. O anúncio mostra o Edifício Martinelli em perspectiva, destacando a imponência do primeiro arranha céu da cidade e cobertura onde o  construtor Giuseppe Martinelli morou para mostrar que não havia perigo em morar no edifício. “Toda a elite paulistana está desfilando para admirar o Rosário e seu esplêndido programa”.  Além da orquestra do cinema e do noticiário Revista Internacional, o destaque era o filme ‘O Pagão’, da Metro Goldwyn Mayer. O Cine Rosário, que funcionou até o início da década de 1940, exigia paletó e gravata para homens. Com 26 andares e fachada de 105 metros de altura, o prédio começou a ser construído em 1924, projetado para ter 12 andares. A obra acabou dez anos depois, com 30 andares, contando os cinco da cobertura. A vista é magnífica, mas infelizmente só abre dias de semana e aos sábados até as 13 horas.

O anúncio é do dia 6 de setembro de 1929.

Ed. Martinelli

Casa Godinho

Vale do Anhangabaú